O quão o poker é complexo?

Olá pessoal! Estamos na ativa e paramos um pouco para falar sobre algo que muitos jogadores recreativos e até mesmo alguns profissionais não se se deram conta. O quão o poker está se tornando complexo. Isso mesmo, a complexidade do jogo vêm aumentando gradativamente no decorrer dos anos e isso deve a inúmeros fatores, dentre eles a quantidade de informações nas mídias sociais e televisivas, a quantidade e qualidade dos jogadores e as ferramentas de armazenamento de dados (pokertracker, holdemmanager, jivaro e outras). Tudo isso está nos mostrando cada vez mais a importância da técnica e dos estudos.

Enfrentar hoje um field gigantesco requer muito preparo físico, mental e além de tudo foco e paciência. No poker online enfrentamos torneios diariamente com fields (quantidade de jogadores) que superam a casa dos 4.000 jogadores e nos finais de semana a casa dos 10.000 facilmente. Imaginem o quão é árduo jogar entre 500 a 800 mãos e ter que, a cada uma delas passar por decisões que muitas vezes podem comprometer um torneio de horas de trabalho sem sequer ganhar 1 dólar.

É muito comum observar jogadores sempre agirem da mesma forma e não perceberem que devemos nos ajustar constantemente a complexidade do jogo. Uma falha comum entre vários jogadores é não ajustar o jogo de acordo com o tamanho dos stacks. Isso vale tanto para o seu stack quanto para o stack do seu oponente. Jogar com 10bb, 25bb ou 50bb são momentos completamente diferentes e exigem ações totalmente diferentes, lógico que sem levar ainda em consideração uma série de outras informações.

Jogar de maneira muito conservadora e esperar mão fortes também pode fazer com que você mingue a mesa. Saber equalizar seu range de abertura é crucial para que não fique somente aguardando aquele AA, QQ, KK, AK somente. Afinal você receberá essas cartas em apenas 3% das vezes.

Outro erro diante da complexidade do jogo é jogar fora de posição com mão marginais,  e ainda de forma passiva. Dessa forma você dará ao oponente uma das das principais ferramentas no poker , a posição, sendo suscetível ataques e deixando-o vulnerável na maioria das situações, o que lhe torna alvo fácil para ser blefado com frequência.

A experiência e o estudo contínuo são as bases principais para a evolução no jogo e e complexidade do jogo será superada e as vitórias virão, lógico que depois de muitos erros e derrotas.

Dúvidas ou sugestões, façam contato. Responderei com prazer.

Grande abraço.

 

Advertisements

O “bicho papão” do flop

 

Olá pessoal

Retornando aos estudos e com novas publicações sobre alguns assuntos técnicos e outros que possam contribuir para a iniciação de jogadores amadores e até mesmo para quem pretende um dia se profissionalizar vamos falar hoje sobre um dos tópicos de estudo mais importantes do poker. O jogo pós-flop.

Jogar o pós-flop para quem não tem certa experiência parece complicado e de certa forma intimidador, quando as decisões se tornam mais complexas e vão se complicando ainda mais no turn e o river.  A resposta a inúmeras perguntas devem ser dadas em apenas alguns instantes. Quando dar check? Quando apostar? Quanto apostar? Quando pagar uma aposta? Quem são nossos oponentes? E se o oponente der check/raise? Como reagir as ações do oponente?

Por esse motivo existem muitos jogadores iniciantes que tendem a querer terminar as ações no pré-flop, pois há o desejo em terminar o processo de decisão por achar o flop um grande “bicho papão”, o que pode levar a grandes perdas e até mesmo em deixar de agregar mais fichas ao seu stack. Jogar o pós-flop exige uma habilidade muito grande e só o estudo e a experiência do jogo lhe trarão mais confiança.

Recentemente assisti a um treinamento de Owen Shiels, jogador Irlandês que já acumulou mais de US $ 1,6 milhão em prêmios on-line. Owen gasta uma quantidade substancial de tempo fora do jogo dedicado aos estudos, que se traduz em bem pensados conceitos, assim achei muito interessante em compartilhar com vocês um pequeno trecho citado por ele para direcionamento dos estudos pós-flop.

Owen direcionou as ações do jogo pós-flop por meio da resposta a 7 questões básicas.

 

  1. O que queremos alcançar com a mão jogada?
  2. Qual é a textura da mesa ?
  3. Qual é o range de cartas de nossos adversários ?
  4. Quais são as tendências dos nossos oponentes naquele momento?
  5. Qual é o possível range que nossos adversários podem nos colocar?
  6. O que acontece se…..?
  7. Que faremos se…..?

Não pretendo discorrer aqui sobre cada uma destas perguntas mas lembre-se, o poker é um jogo de informações incompletas e para se tornar um bom jogador você precisa responder às várias questões, aproximando-se cada vez mais da decisão correta, aquela você tomaria se pudesse ver as cartas do oponente. As que Owen enumerou são as mais básicas para nortear sua estratégia de estudo que,  em conjunto com um boa escolha de mãos iniciais tornará o jogo mais agradável.

Escolhas algumas mãos suas e durante os estudos passe a responder cada uma das questões acima e veja se as decisões realmente foram corretas com base nas respostas. É lógico que as respostas podem levar a outras perguntas, mas se fosse fácil não estaríamos aqui estudando.

Abraço todos.

 

 

A estratégia do blefe

783

Olá pessoal.

Estivemos fora do ar por algum tempo e agora estamos retornando com alguns artigos que poderão ajudá-los no aprendizado.

Vamos falar hoje sobre a estratégia que está por trás do blefe. Muitos jogadores acreditam que blefar é simplesmente uma ação que pode ser empregada no poker a qualquer momento, e eles estão errados. O conceito geral do blefe é simples. É um ato que tem a intenção de fazer uma mão fraca foldar mãos melhores, e isso parece simples, mas não é.

Primeiramente temos que pensar o que faz um blefe bem sucedido e há inúmeras questões que você precisa considerar ao decidir se deve ou não blefar, dentre elas: os seus adversários, a sua imagem, o seu histórico, a sua posição, a força da sua mão e o tamanho da aposta.

Os seus adversários

Há muitos tipos diferentes de jogadores de poker e você precisa escolher os adversários certos para blefar. Primeiramente o blefe, em linhas gerais, deve ser feito somente contra um oponente, a não ser que você esteja muito certo que dois ou mais irão realmente foldar mão melhores que a sua, o que é muito difícil. Da mesma forma, você deve evitar alvos ruins para o seu blefe. Blefar contra um oponente ruim e que não pensa no jogo não é uma estratégia muito interessante, já que ele na maioria das vezes pagará suas apostas sem o colocar em um conjunto de cartas (range). Você também deve ter o máximo de cuidado ao tentar blefar contra um cara que é muito loose e que joga muitas mãos, já que existe a tendência dele pagar muito suas apostas também. Enfim, se ele é muito ruim para pensar sobre o que significa a sua aposta, então é muito improvável que ele folde, não importa o que você faça. Portanto, é muito mais fácil blefar contra um bom jogador do que contra um mau.

O histórico recente do seu oponente precisa ser levado em consideração também. Alguns jogadores deixam tão claro que estão na mesa por pura diversão que se tornam alvos de bons jogadores, com boas mãos. Eles vão dar o resto da seu stack com qualquer tipo de cartas. Eles não devem ser parte da sua estratégia de blefe. Por outro lado, se um jogador mediano, com poucas fichas esteja claramente pensando em preservar seu stack, ele pode ser um grande alvo para um blefe.

Sua imagem

Sua imagem desempenha um grande papel em saber se o seu blefe será bem sucedido. Você precisa pensar constantemente como está a sua imagem na mesa e explorá-la ao seu favor. Se você é visto como um jogador tight, suas apostas serão mais prováveis de se ter crédito, representando força. Os seus blefes vão ser mais propensos de sucesso. Por outro lado, se você é percebido como um jogador loose, que joga muitas mãos, seus blefes vão quase certamente falhar. Sempre leve sua imagem em consideração antes de aplicar o blefe.

Histórico de apostas

As apostas não são vistas em particular. Elas fazem parte de uma narrativa e para ter sucesso contra adversários que tem a percepção do jogo, precisa caber em um sequência lógica de ações. O bom adversário provavelmente não acreditará em sua sua aposta no river, se você não o fez acreditar até aquele momento que possui uma queda para um flush por exemplo. Resumindo, conte a sua história de forma que ele acredite que você tem a mão que ele pense. Faça com que ele o coloque no range que você está demonstrando.

Força da sua mão

Blefes puros, quando uma mão não tem absolutamente nenhuma chance de sucesso são menos propensos a ser lucrativas, em regra geral, os blefes devem ser aplicados com conjuto de cartas que tem possibilidade de melhorar com o decorrer da mão. Estes são geralmente conhecidos como “semi-blefes “.

Um bom exemplo de um semi-blefe. No flop AhJh . O flop é KsQh8h. Você aposta mas não tem nada, a não ser uma boa probabilidade de acertar a sequência ou um flush . Se o seu oponente folda você ganha, e seria um blefe bem sucedido se isso acontecesse. Mas mesmo que ele pague sua aposta, você ainda tem a probabilidade conseguir uma sequência ou um flush no turn e no river.

Como você pode ver, um blefe com um plano de backup, conhecido como um semi-blefe, é melhor do que apenas um blefe puro. Então, leve isso em consideração quando decidir se deve ou não fazer blefar .

Sua posição

A posição em relação ao oponente é o fator mais importante no poker. Pois é ela que, logo no início, lhe colocará em vantagem.

Geralmente, para decidir sobre o blefe ou não você deve ver como seu oponente reage, tornando posições finais mais vantajosas do que as posições iniciais.

No poker, no entanto, algumas coisas não são sempre verdadeiras. Às vezes, pode ser melhor blefar em early position. Se, por exemplo, seu adversário for um bom jogador e entender que o blefe é geralmente mais provável de ser aplicado em late position, você pode tentar enganá-lo para fazer foldar uma mão superior, por apostar em early position.

Tamanho da aposta

É muito importante você pensar sobre o tamanho da sua aposta quando você está blefando. Geralmente, você vai apostar o mínimo necessário para fazer o seu adversário foldar. Mas qual é o tamanho ideal?

Pode parecer que quanto mais você apostar, mais provável será o seu adversário foldar. Como uma questão prática isso raramente é verdadeiro, no entanto, é melhor pensar em termos de limites para além dos quais os adversários vão ou não pagar.

Não uma regra de ouro com que faça ser o suficiente para fazer o seu adversário foldar. Você deve perceber que cada situação é diferente e se tiver razões suficientes para suspeitar que o seu adversário está em algum tipo de combinação, uma aposta maior, talvez uma do tamanho do pote, poderá ser necessário levá-lo a desistir. Da mesma forma, se o seu adversário é um jogador que paga muitas apostas, não importa o quão grande você aposte que você não irá induzi-lo a foldar, o que significa que você não deve tentar um blefe a qualquer preço.

Considerações

O blefe é uma das ferramentas estratégicas mais importantes e complicadas no poker e há o momento certo para utilizá-la, levando-se em consideração um conjunto de informações. No entanto, os jogadores novatos muitas vezes caem na armadilha de blefar muito. É importante que você considere todos os fatores neste artigo antes de tentar aplicar um blefe.

Se você é novo no poker e está apenas começando , então é melhor evitar a tentação de blefe. Você deve estudar muito e aprender sobre o conceito de blefar, juntamente com muitas outras estratégias de sucesso no poker. Quando você combinar esse conhecimento com valiosa experiência de jogo, a arte de blefar vai se tornar uma segunda natureza.

Treinamento com a turma team micro

Olá pessoal, tudo bem?

Vou retomar os posts e dessa vez a coisa vai andar. Para quem me acompanhou desde o início peço desculpas, pois com os jogos e estudos no poker e ainda a vida particular acabei abandonando essa galera.

Bom, essa semana, como vem ocorrendo a um bom tempo, a galera do team micro, Eduardo, Soshiro, Higa, Thiago e eu nos encontramos para mais uma session review e dessa vez analisamos mais um torneio meu, parcialmente cravado no último sábado (4,40), digo parcialmente porque acabei em um acordo de 50% no heads up.

Os estudos da galera estão a milhão e o nível cada vez mais alto, todos estão voando e com ótimos resultados. Fico impressionado com a capacidade de análise de  todos o quanto aprendemos juntos. Conselho que transmito a todos, procurem seus colegas e façam reuniões periódicas de estudos, com reviews e discussões sobre mãos.

Quero aproveitar para fazer uma pequena propaganda. Quem me acompanha sabe que moro da cidade de Itacaré, estado da Bahia e aqui possuo uma casa de praia bem legal, para quem quer passar as férias com a família. Ela fica próxima as duas praias consideradas entre as mais bonitas do Brasil.

Para quem tiver interesse em alugar esta casa acesse o site http://www.itacarebangalo.com, veja as fotos e faça contato. Não vão se arrepender….

Grande abraço

Os estudos e o resultado

shark-grafico

A um tempo atrás postei sobre a importância dos estudos no poker e hoje estou postando a comprovação disso. Depois de quase 1 ano após ter participado do Akkari Team e nesse tempo ter se dedicado muito aos estudos, os resultados estão chegando.

Estudar não é simplesmente ler livros ou tópicos sobre o assunto, estudar é discutir, participar de foruns, reunir-se com os amigos para falar sobre poker, assistir a vídeos e jogar.

Desde que saí do QG o mesmo grupo de pessoas que estavam la comigo continuam nessa batalha do dia-a-dia de estudo e prática, uma galera muito gente boa e hiper dedicada. Acredito que isso tem sido o ponto fundamental na minha evolução. Sozinho não se faz nada, e aconselho àqueles que pretendem continuar os estudos é que se juntem aos amigos que gostam do joguinho e formem uma verdade equipe de trabalho, só assim os resultados surgirão.

Poker! Aprendizado eterno do ser humano.

mente

Olá pessoal, tudo bem?

Desde que iniciei minha carreira no poker tenho estudado praticamente todos os dias. Desde que participei do curso mensal do Akkari tenho estudado todos os dias. Desde que fui selecionado para o Akkari Team tenho estudado todos os dias. É isso mesmo. Um jogador de poker, profissional ou não, que se diz conhecedor total do assunto está falando uma grande mentira e cometendo um erro grave, deixando seu ego administrá-lo.

O poker exige tempo e a administração desse tempo está entre o jogo e o estudo, pois ambos têm seu grau de importância. Eu particularmente reputo ao estudo um grau de importância maior do que o próprio jogo. Como você quer comandar uma máquina sem saber ao completo seu funcionamento? E ainda uma máquina que está sendo operada por seres humanos, e esse é o maior dos desafios, conhecer as reações dos seres humanos.

Depois que passei a estudar o jogo e também a focar na análise das reações dos seres humanos em determinadas situações passei a entender melhor a situações desse grande desafio chamado poker. Hoje tenho a plena consciência que poker não é somente um  jogo de cartas com o objetivo de fazer pares, flushes, full houses, straights, royals. São atitudes e respostas a estímulos de seres humanos, e se entendermos ou nos aproximarmos desse entendimento, estaremos mais próximo do sucesso.

Li muito livros técnicos e somente quando passei a estudar  a mente e reações das pessoas passei a ter melhores resultados, então vai minha dica. O poker é um esporte da mente e quanto melhor conhecê-la, seja a sua ou de seu oponente, melhores serão os resultados.

Existem duas necessidades humanas importantíssimas que influenciam diretamente em nossos resultados, que somadas nos trarão melhores resultados: a autoconfiança e a auto-realização.

A autoconfiança é decorrente da auto-avaliação de cada indivíduo. Refere-se à maneira pela qual cada pessoa se vê e se avalia e no poker a tendência é de sempre acharmos que somos os melhores, e diz respeito ao nosso ego, por nunca ache que você é melhor que todos.

A auto-realização é a síntese de todas as outras necessidades. É o impulso de cada um realizar o seu próprio potencial, de estar em contínuo desenvolvimento no sentido mais elevado do termo e é isso que nos impulsiona e continua mantendo nosso foco no jogo.

Continue sempre se auto-desenvolvendo e estudando cada vez mais as pessoas e isso manterá sua confiança para esse jogo de mentes.

PRECONCEITOS QUEBRADOS

policia

Tenho visto muitas notícias interessantes ultimamente sobre o desenvolvimento do poker no Brasil e com certeza a melhor de todas foi o anúncio dos organizadores da 4ª etapa do BSOP (Brazilian Series of Poker) de Brasília, sobre a criação de um torneio muito específico que ocorrerá neste evento . Eles decidiram, logo na capital federal do Brasil, realizar um evento de poker voltado exclusivamente para a membros das Forças Públicas de seguranças do Brasil.

Apenas membros da Polícia Federal, da Polícia judiciária da União, da Polícia Rodoviária Federal, da Polícia Ferroviária Federal, das Polícias Civis, das Polícias Militares e dos Corpos de Bombeiros Militares do País podem jogar.

Há alguns anos atrás nunca imaginaríamos que um evento de poker seria realizado exclusivamente para policiais, e hoje isso é uma realidade. A organização espera aproximadamente 100 participantes para o evento.

Tenho conversado com muitos amigos policiais e alguns não só estão jogando poker como forma de lazer, mas também estão se engajando em uma nova profissão, e eu sou prova viva disso.

Além de policiais, juízes, promotores, advogados e muitos políticos também têm participado dos eventos oficiais de poker e isso comprova que as barreiras do preconceito já foram quebradas.

Infelizmente não poderei participar desse torneio, mas com certeza o sucesso trará muitos outros e quem sabe se encaixe definitivamente no calendário dos eventos do BSOP.